quarta-feira, 4 de maio de 2016

FORA DO CONTEXTO


1.

Um burro faz um meme e vários modinhas "curtem", "comentam" e "compartilham" sem ao menos verificarem a veracidade dos fatos.

O que é Comunismo, Socialismo, Capitalismo?

Pois bem, Cuba não é um regime Socialista, é um regime Comunista que surgiu nos anos 50 apoiado pela antiga URSS, por causa disso sofreu embargo dos EUA e de outros países, impedindo a entrada de produtos alimentícios e de tecnologia automotiva, eletro e eletrônicos.
Apesar disso, Cuba tem uma das melhores medicina do mundo, e já foi uma das potências mundiais nos esportes.

Assim como Cuba, China é um regime Comunista e é atualmente uma das principais economias do mundo, abrindo-se gradativamente à este desenvolvimento social e tecnológico. A China e o Brasil pertencem ao bloco de países emergentes, ao lado de Rússia, Índia e África do Sul.

Para quem não conhece história política mundial, o atual presidente francês, François Hollande, é socialista, eleito 16 anos depois do também socialista François Miterrand.
A Inglaterra também teve vários primeiro ministros socialista na história (Partido Trabalhista). Os mais recentes foram Tony Blair e Gordon Brown. Quando morei em Portugal, o primeiro ministro pertencia ao Partido Socialista (PS), José Sócrates -  2005 a 2011.

O país comparado com Cuba, na foto, Hong Kong, era uma colônia Chinesa, após a Primeira Guerra Mundial passou para controle administrativo da Coroa Britânica, cuja concessão encerrou-se em 1997, retornando ao domínio do governo Chinês. Ou seja, Hong Kong cresceu sob períodos da política socialista d´uma monarquia - Reino Unido (UK) e sob regime comunista da China.

Se quisermos comparar situações sócio-político-econômica-social de alguns países, podemos incluir o Brasil, que está longe, muito longe deste desenvolvimento cultural adquirido por Hong Kong, e porque não dizer também da China em relação ao Brasil. Basta verificarmos a saúde pública, o saneamento básico, a educação e cultura, a segurança e o transporte público, a economia, ou seja a sociedade como um todo.
Digo isso analisando a estrutura do Brasil de norte a sul e não apenas nos grandes centros.




2.

A pregação política nos discursos da mídia nacional brasileira é que a política socialista petista (popularmente e ironicamente chamada de comunista) assemelha-se aos primórdios do regime do Partido Nazista Alemão de Hitler.

Tremenda ignorância e desconhecimento dos fatos, poderíamos até dizer que esta política petista chega a ser ditatorial, mas jamais nazista, pois tenho uma outra ótica baseada na atuação nazista tentando influenciar o povo alemão contra o que vinha de fora. Por exemplo, Hitler pregava a caça aos comunistas. Comunistas eram todos aqueles que discordavam dos seus ideais. Este foi apenas o princípio.

Depois disso a intolerância nazista perseguiu raças (Judes, Negros, Latinos), posteriormente as religiões (todos não católicos), e por fim o setor social (homossexuais e doentes físicos e mentais).

Consigo enxergar esta intolerância nas manifestações com predominância branca e de classe B e C, pois se você não concorda com os manifestantes nas ruas e nas redes sociais você é considerado burro, ignorante, oportunista, entre tantos outros adjetivos que venham a denegrir a imagem do cidadão.
Daqui à pouco estaremos perseguindo os Nordestinos, Bolivianos (cujo preconceito já ocorre informalmente através da relação social), perseguindo as religiões, homossexuais e por aí vai......

Considero uma sociedade de conhecimento, sem educação, uma sociedade sem cultura, e assim facilmente levada por qualquer discurso midiático com interesses pelo poder e riqueza, facilmente iludidos.




3.

Andando pelas ruas fico indignado com a grande quantidade de imóveis comercias para alugar.
Seria fácil para qualquer um dizer que a culpa é da crise econômica gerada pela corrupção do governo, ainda mais neste momento de crise política, então: culpa do PT, Dilma e Lula.
Porém, não é, a culpa é do cidadão comum e igualmente corrupto a qualquer outro político. Deste cidadão que diariamente manifesta-se pedindo a saída destes corruptos esquerdistas.

Não é o governo Federal, Estadual ou Municipal que determina o valor do m² dos imóveis de um bairro ou de uma cidade, quem determina é o mercado gerenciado pelas empresas imobiliárias e construtoras juntamente com proprietários dos imóveis. A culpa é do cidadão que tem, e que ter mais poder e riqueza, quer ter mais de forma egoísta e mesquinha, miserável.

Posse exemplificar, próximo à minha residência há um salão comercial de 250 m² o qual eu fui visitá-lo desejando abrir um negócio, porém o valor me assustou: R$ 13.500,00, para um imóvel de um bairro da Zona Norte da capital paulista. Posteriormente foi locado para a abertura de um restaurante que pouco funcionou, logo fechou as portas.

Façamos um rápido exercício: uma refeição média (barata) no valor de R$ 20,00; o proprietário do restaurante deveria vender 675 refeições/mês, 22,5 refeições/dia apenas para pagar o aluguel, sem considerar demais despesas com funcionários, encargos, impostos e tarifas diversas, etc, etc,

Não consigo entender a necessidade do proprietário do salão em cobrar este valor de aluguel. Este é com certeza um cidadão ganancioso pelo poder e riqueza, porque o imóvel esteve e estará por anos fechado, e se pode ficar fechado que o valor não lhe faz falta, porque não reduzi-lo? O restaurante poderia ter sobrevivido.

Continuando o exercício, imaginemos se o proprietário do restaurante conseguisse vender as tais refeições/mês para pagar todas as despesas e ainda lhe sobrasse para as despesas pessoais e familiar. Poderia vir o proprietário do salão e reduzir o valor do aluguel em 1/3, com certeza o proprietário do restaurante continuaria cobrando os mesmos valor e não repassaria seus lucros para clientes e funcionários. A ambição faria com que ele ficasse com a grande fatia.

Ainda vemos imóveis residenciais com valores irreais para a realidade econômica brasileira, valores que não se alteram, no máximo se estabilizam, não reduzem.

O rico cada vez mais rico, mais donos, e o pobre cada vez mais pobre por pagar o sustento dos ricos.

A crise mundial de 2008 se iniciou nos EUA e desembarcou nas Europa justamente com sua origem no setor especulativo imobiliário. A crise no Brasil passa por este segmento, também.
O que fecha uma mega ou grande empresa pode ser a política econômica, pois são donos dos seus próprios galpões. A crise de um pequeno ou micro empresário é o valor do aluguel, ele repassa o valor em seus produtos, que deixam de ser vendidos, que o impede de continuar levando-o à falência.

O pequeno comerciante necessita de uma boa relação com a comunidade, é a máquina que o faz movimentar. Por isso a necessidade de um envolvimento social, uma participação de cada um. Não basta apenas manifestar-se, senão a crise continua uma bola de neve e não basta  colocar a culpa nas costas dos outros (governo), antes de se manifestar assuma sua parcela de responsabilidade nesta crise.

Sei que vivemos num mundo competidor, mas no Brasil a competição é desleal, injusta por esta cultura gananciosa e egoísta.

O cidadão comum é o principal culpado: no seu descaso, no egoísmo, quando vai às urnas votando não no melhor para a nação, mas no melhor para si: alguém que poderá satisfazer os seus próprios interesses.

O povo é culpado quando não sabe nem porque sai à ruas, ou como sair. Pede a cabeça de 2 ou 3, quando na verdade o congresso é apenas a reunião de uma máfia que é controlada pelos verdadeiros "bandidos" que estão do lado de fora, escondidos e jogando as peças como num tabuleiro de xadrez.

Wagner Pires


Nenhum comentário: